sexta-feira, 6 de junho de 2008

TEMPO...


Quanto tempo ainda nos resta?
A tempos, o tempo deixou de ser nosso aliado. Voltou-se contra nós! Não... Contra todos.
E o que estamos fazendo com o nosso tempo, com o tempo? E o com o tempo dos outros, o que fizemos? O que fazemos?
Talvez, não seja o tempo que insistentemente corre contra nós, mas o relógio. É o relógio e não o tempo que nos grita que tudo está acabando. Mas o que acabou? Como acabou?
Tudo é o tempo! É ele que cura, que sara, que corre...
O tempo está sempre presente, porque ele não pára!
Mas quanto tempo temos? Quanto... ainda nos resta?

3 comentários:

Dil disse...

Espero que ainda tenha muito tempo de vida...
E sim, tudo é culpa do relógio, somos escravos do relógio... aff

Thaíssa Vasconcelos disse...

"Quanto tempo temos? Quanto tempo ainda nos resta?"

Segundo Cazuza, os ignorantes a essa resposta são mais felizes, eles não precisam correr, andar com mais pressa ainda pelos dias que já são corridos.

Constantin Constantius disse...

Sophia, bela reflexão! Um dos assuntos que mais detenho reflexão é o da temporalidade. Comecei a ler um livro agora de Sêneca "Sobre a Brevidade da Vida". Parece ser interessante. O Objetivo é mostrar que não é curto o tempo que temos, mas dele muito perdemos.

Enfim, sobre o tempo, penso eu que seja a forma como a consciência humana percebe a sua própria existência. Numa reflexão mais longa é possível conceber toda a existência, num único instante, um eterno presente. Sinto aquela sensação de que sempre estamos aqui.

Parabéns pelo texto! Parabéns a todos os escritores deste blog.