segunda-feira, 8 de setembro de 2008

MEU NÃO MOMENTO. PARA O MUNDO UM POEMA




Os momentos que desejo
fossem realizados agora.
Para que depois,
se posso não querê-los mais.

A vida existisse para mim.
Minha é,
Para que não servir-me e dar-me prazer?

A vida fosse toda uma
Só,
Para o INDIVÍDUO todo,
Um só!
Não em partes,
Em migalhas,
Em restos,
Ou, ou, ou,
Sobras, sombras...
Não se satisfaz a Voracidade do ser.

Mas ainda assim,
que os momentos desejados se realizem
não por mim,
não por ti,
não por ninguém mais.
Mas, só e simplesmente,
Que aconteçam por ELES MESMOS.

A grandiosidade desta vida
É “feita” de momentos
E se eles não ocorrerem,
Independentemente de qualquer mísero ou supremo desejo,
A VIDA DEIXA DE EXISTIR.
Uss
Sítio, 10h 57min, 3-8-2008.

3 comentários:

Magnólia disse...

Q texto belo!


Parabéns Udi!*-*

Fordelone disse...

Muito legal! A própria forma da poesia, construída de forma entrecortada, dá a idéia das "partes" citadas.

Quanto à última estrofe, penso que não deixa de existir a vida, mas a grandiosidade dela sim.

No mais... O momento pode até não ocorrer por alguém, mas ele sempre depende de alguém para ocorrer. Mesmo que esse alguém seja você.

Parabéns pela poesia.

uss-picuí disse...

obg fordelone. gostei do comentário. q bom saber q outras pessoas pensam iguais a mim.